1.Defina a função do Gestor Financeiro.

A função genérica do gestor financeiro pode ser subdividida em dois grupos:
- a decisão de investimento ou orçamento de investimento, que está relacionada com a escolha dos activos que a empresa precisa/deve comprar;
- a decisao de financiamento, onde se decide como conseguir os recursos financeiros necessários para o investimento.
Dentro de uma empresa, qualquer responsável por uma decisão significativa de financiamento ou investimento pode ser considerado um gestor financeiro.
Raquel

O gestor financeiro desempenha ambas as funções de investidor e de analista de fundos (diferente de analista financeiro):
São duas as tarefas do gestor financeiro:
1. Quais os investimentos que a empresa deve fazer? (aplicações de fundos)
2. Como financiará a empresa esses investimentos? (a sua obtenção)
O segredo do êxito da gestão financeira é a criação de valor, mas o problema está em "como fazê-lo".
O papel do gestor financeiro inicia-se quando os mercados financeiros emitem títulos para se obterem disponibilidades. Estas são aplicadas por este na compra de activos reais usados nas operações da empresa mais tarde se a actividade da empresa resultar os activos reais geram fluxos de tesouraria que excedem o valor de investimento inicial. O gestor decide então se as dispensabilidades são reinvestidas ou retornam aos investidores que adquiriram a emissão inicial de títulos.
- Em que activos reais deve a empresa investir? O gestor tem que tomar decisões a nível do investimento ou orçamento de investimentos.
- Como devem ser obtidos os fundos para financiar o investimento? Decisões de financiamento.
Em última análise, o investidor responde perante os accionistas, qualquer decisão que aumente o valor da posição do accionista na empresa é benéfica.
Normalmente, qualquer responsável por uma decisão significativa de investimento ou de financiamento da empresa, é designado gestor financeiro.
Vanessa Mendes

A curto prazo, a função do gestor financeiro traduz-se na gestão de tesouraria da empresa. Esta, consiste no processo de regulação dos pagamentos e recebimentos da empresa de forma que esta possa fazer face, sem falhas, às responsabilidades que assumiu, e obter os meios financeiros adicionais nos casos em que há déficit de tesouraria, ao menor custo possível, ou de aplicar os excedentes criados de forma a obter a melhor remuneração possível.
A médio e longo prazo, o gestor financeiro é responsável por definir e implementar a estratégia de financiamento da empresa com vista a precaver a sua estabilidade e ao mesmo tempo maximizar os resultados líquidos da empresa (relação Retorno / Risco).
Vanessa Mendes




2.Enumere os principais fluxos financeiros numa empresa.

Os principais fluxos financeiros numa empresa são os fluxos gerados pelas operações de investimento e financiamento.
financas.GIF

Raquel

Permite-me completar (esta é a ordem a seguir):
1) Fundos resultantes da venda de activos financeiros aos investidores: O fluxo inicia-se quando os títulos são emitidos para se obterem disponibilidades;
2) Fundos investidos nas operações da empresa: As disponibilidades são aplicadas na compra de activos reais usados nas operações das empresas;
3) Fundos gerados pelas operações da empresa: Mais tarde, se a actividade da empresa resultar, os activos reais geram fluxos de tesouraria que excedem o valor do investimento inicial;
4a) Fundos reinvestidos: As disponibilidades são reinvestidas;
4b) Retorno dos investidores: OU retornam aos investidores que adquiriram a emissão inicial de títulos.
(Vanessa M.)


3.Qual deve ser o posicionamento do gestor financeiro no relacionamento entre a Administração e os Accionistas?

O gestor Financeiro posiciona-se entre a actividade operacional e os mercados financeiros.
Numa empresa de grande dimensao existe a necessidade de separar a administraçao dos accionistas, assim a autoridade é delegada á administraçao.
Vantagens: -- contratar gestores profissionais
-- podem mudar os accionistas sem mudar a gestao
Desvantagens: --Custos de agencia (os gestores podem nao tentar maximizar o valor da empresa; custos para tentar monitorizar os gestores)
-- assimetria da informação (entre accionistas, gestores e credores).
Um dos papeis do gestor financeiro é reconhecer as assimetrias da informaçao e minorizar os seus efeitos (por exemplo dar garantias aos credores)
Raquel

O gestor financeiro responde perante os accionistas, qualquer decisão que aumente o valor da posição do accionista é benéfica. Assim sendo, uma boa decisão de investimento será aquela em que a compra de um activo real produz um valor superior ao seu custo - um activo que proporcione um contributo líquido para o valor da empresa.
A decisão final é tomada pelo conselho de administração. Por exemplo, só este tem poderes legais para anunciar a distribuição de dividendos ou aprovar uma emissão publica de títulos. O conselho de administração geralmente delega poderes de tomada de decisão sobre pequenos ou médios investidores, mas quase nunca sobre os grandes.
Vanessa Mendes


4.Quais as responsabilidades essenciais associadas com a função financeira?

-Relações com os bancos
-Gestão de tesouraria
-Obtenção de financiamentos
-Gestão de créditos
-Pagamentos de dividendos
-Seguros
-Planos de pensões
(PedroM)

No curto prazo, as responsabilidades associadas com a funçao financeira traduzem-se na gestão de tesouraria da empresa, ou seja,no processo de regulação dos pagamentos e recebimentos da empresa de forma a que esta possa fazer face, sem falhas, ás responsabilidades que assumiu e consiga obter os meios financeiros adicionais nos casos em que se verifica um déficit de tesouraria, ao menor custo possível, ou de aplicar os excedentes criados de forma a obter a melhor remuneração possível.
A médio e longo prazo, as responsabilidades associadas a esta função passam pela definição e implementação da estratégia de financiamento com vista a precaver a estabilidade e a maximização dos resultados líquidos da empresa.
Luís Pedro

Como responsabilidades típicas do director financeiro temos: as relações com os bancos, gestão de tesouraria, obtenção de financiamentos, gestão de créditos, pagamento de dividendos, seguros e planos de pensões; o controller financeiro tem por responsabilidades: contabilidade, preparação de relatórios e contas, auditoria interna, salários, custódia de resgistos, preparação de orçamentos e impostos.
NOTA: O gestor financeiro é um gestor especializado em finanças, que obtém e gere os fundos da emp, enquanto o controller verifica os orçamentos, contabilidade e auditoria.
Algumas empresas de grande dimensão nomeiam ainda um "administrador financeiro", que supervisiona o trabalho do director financ e do controller e está profundamente envolvido na definição da política financeira e no planeamento da empresa. Frequentemente, tem ainda responsabilidades globais de gestão para além dos assuntos estritamente financeiros e pode pertencer ao conselho de administração.
Vanessa Mendes


5.Das funções atrás enumeradas quais são delegáveis?

Dos apontamentos que tenho desta aula, o professor começou por falar que o gestor financeiro e o controller tinham áreas de coincidência.
O exemplo que deu foi a área orçamental. Quando se trata de um orçamento de projectos de investimento fica a cargo do gestor financeiro, quando se trata de orçamentos correntes da área da contabilidade são delegados ao controller. Não sei se ajuda....
(Raquel P.)

Os projectos de investimento mais importantes estão estritamente ligados a planos de desenvolvimento de produtos, de produção e comercialização, cujos gestores são inevitavelmente chamados a participar no seu planeamento e análise. Se a empresa possuir quadros especializados em planeamento também eles são envolvidos na definição do orçamento de investimentos. Geralmente, o director financeiro, o controller ou o administrador do pelouro financeiro são responsáveis pela organização e supervisão do processo de definição do orçamento de investimentos. O conselho de administração geralmente delega poderes de tomada de decisões sobre pequenos ou médios investimentos, mas quase nunca sobre grandes.
Vanessa Mendes



6.Qual a função do CFO?

O CFO (Chief Financial Officer) é o administrador, que supervisiona o trabalho do director financeiro e do controller. Este administrador está profundamente envolvido na definição da política financeira e no planeamento da empresa. Tem, frequentemente, responsabilidades globais de gestão, para além dos assuntos estritamente financeiros e pode, eventualmente, pertencer ao Conselho de Administração. (Joana Silva)

A função do CFO em mudança.
O dirigente de finanças busca percorrer o caminho da inovação para auxiliar o crescimento corporativo .
Estes executivos, que têm como missão tornar as suas empresas mais competitivas, com maior lucratividade e com valores accionários mais elevados, estão inovando. Os CFOs estão preparados para facilitar a inovação e para apoiar as prioridades do CEO como nunca. O executivo financeiro visionário, utiliza sua função no grupo dos “chief officers” e na redução de custos para eliminar a distância entre a teoria ou ideias inovadoras e a implementação no mundo real.
Vanessa Mendes



7.Qual é a sua posição vs. CEO?

O CEO (Chief Executive Officer) é o chefe executivo, está no topo da empresa, acima do CFO, o responsável pelo pelouro financeiro. (Joana Silva)

CEO (chief executive officer): é o mais alto cargo da organização que está encarregue de toda a gestão da organização. Geralmente tem um conjunto de executivos subordinados, de entre eles o CFO.
Joana Jesus
financas1.JPG
Raquel


8.Descreva os modelos de organização que considera mais apropriados tendo em conta a dimensão das empresas.

Para empresas de menor dimensão como pequenos prestadores de serviços, proprietárias de pequenos estabelecimentos comerciais ou pequenas indústrias, são apropriados modelos de organização como "empresário em nome individual" ou "sociedade do tipo em nome colectivo"(partnership).
O "empresário em nome individual" é uma empresa criada por um único individuo, sem sócios nem accionistas, suportando todos os custos e sendo proprietário de todos os lucros. O "empresário em nome individual" está sujeito a responsabilidade ilimitada, sendo pessoalmente responsável por todas as dívidas da empresa.
A "sociedade do tipo em nome colectivo" é constituída por um conjunto de sócios e define através dos "estatutos da sociedade" o modo de tomada de decisão e a distribuição dos lucros. Neste tipo de sociedade, todos os sócios são solidariamente responsáveis pelas dívidas da empresa, independentemente da proporção da sua quota.
À medida que vão adquirindo maior dimensão, as empresas e as suas necessidades financeiras tornam-se incompatíveis com os modelos anteriores, estas empresas podem assumir o modelo de "sociedade anónima". A "sociedade anónima" é uma entidade distinta dos seus sócios e assenta num pacto social que define o objecto da empresa, o número de acções e o modelo de governo. Este tipo de sociedade tem responsabilidade ilimitada, ou seja, os accionistas não podem ser pessoalmente responsabilizados pelas dívidas da sociedade, estando as suas perdas limitas ao valor investido na empresa. As "sociedades anónimas" são caracterizadas, ao contrário dos outros modelos de organização, pela separação entre propriedade e gestão. Esta separação oferece maior flexibilidade e longevidade à empresa. Os aspectos menos positivos das "sociedades anónimas" são as pesadas obrigações legais associadas à sua gestão e, no caso dos Estados Unidos, a dupla tributação de rendimentos.
(Ricardo Madeira)



9.Comente as formas de organização baseadas nos modelos portfólios vs. áreas de negócios vs. fábricas.

Supondo 2 empresas com modelos de negócio diferentes.
Empresa 1 - único produto e fábricas por todo o mundo;
Empresa 2 - vários produtos (em diferentes áreas de negócio).
Na empresa 1, a consolidação das contas é feita ao nivel do grupo, do ponto de vista hierarquico trata-se de funções verticais. Fala-se no MODELO DE CENTRALIZAÇÃO onde cada fábrica tem contabilista e tesoureiro, mas toda a informação é inteiramente concentrada na sede da empresa.
Vantagens: O departamento financeiro das várias filiais pode ser diminuto porque tudo passa pela sede.

Outros casos de multinacionais descentralizam as funções para que possam ser julgadas não só na sua capacidade produtiva como financeira.

Na empresa 2 - lógica da carteira de negócios - MODELO DESCENTRALIZADO. Cada sub-holding tem autonomia, dirigindo o negócio na sua quase totalidade e a sede só faz afectação de capital para cada sub-holding consoante o desempenho ou rentabilidade esperada. A função financeira está concentrada nas sub-holdings. Quando há necessidade de transferência de fundos entre empresas muitas vezes a decisão nem passa pela sede.
No entanto, há quem não concorde com esta desintermediação bancária. Estes, argumentam que apesar dos custos para o grupo virem diminuidos haverá sempre ineficiências dentro do grupo, porque assim os gestores financeiros não se sentem obrigados a negociar no mercado bastando para tal pedir ajuda ao ''amigo'' da outra holding. Neste caso, empresas lucrativas podem estar sistematicamente a ajudar as outras que têm prejuízos e estão assim a prepetuar um mau negócio.

Nota: Não sei bem se isto responde à pergunta, mas a resposta há-de andar aqui por perto... modelos de portfólio não tenho nenhum apontamento.
Raquel P.